Teste de Rodapé 1

É Proibido a cópia do conteúdo desse blog sem colocar os devidos créditos. Plágio é crime: Código Penal, lei nº9610/98.

Meio-dia


Por que me tocas? Essas mãos sujas, molhadas de infidelidade. Meladas de sangue, sem piedade. Sujas com ódio e rancor, que causam pranto e dor. Despedaçando-me inteira, como uma flor. Caída ao sol do meio dia, oh menino quem diria.. Que aqui eu estaria, com toda essa melancolia. E me diz onde estou, e pra onde foi a alegria. O porque que me deixou, aqui ao meio dia. Onde na sua mente vazia, não cabe mais a fantasia.

Sem expressão

Na camisa, o perfume madeirado, ele me encara com seu cabelo arrepiado. Lentamente, contado passo a passo, no seus pés o cadarço desamarrado.
O seu sorriso, muito estrelado, dente por dente, tudo perolado.
Vendo de longe,até que parece arrumado. Mas percebo um colar desajeito.
Calça apertada, mostrando sua definição, camisa xadrez e um celular na mão.
Misterioso, um papel caído no chão.Olhar gélido, fosco, seco. Sem expressão.
Estando triste, continua encantador, olha pra baixo, parecendo um refletor.
Dedos tão rápidos digitando uma mensagem, aquilo tudo parecia uma miragem.
O que machuca aquele garoto tão bom? Em seu pescoço existe uma marca de batom.

Tatuei

Meu ego é grande, e meu orgulho maior que eu. Se não ligou no dia seguinte, então perdeu. Não me importo de fingir estar mal, até que me divirto sendo casual. E fica melhor ainda quando te falo a real. Te guio com a minha língua e você irá me dizer, que de todas da festa, adorou me conhecer. Te embriago com o meu cheiro, mordendo e liberando o veneno, não preciso te controlar enquanto está divertido, só preciso te mostrar um pouco do meu perigo. Poderia doer se eu ainda tivesse a cicatriz, mas ela some como os homens, que não liga o dia seguinte. E quando tiver você na minha mão, sumirei, como um álcool em evaporação. Em meu corpo tatuei um escorpião, por causa do meu veneno, e da minha inquietação. Pra você, tatuarei um dragão, que apenas com a boca te devora, e te transforma em pólvora.. Caído, no chão.

Rádio

Estou cantando essa canção que nem vai tocar no rádio. Estou aqui falando que poderia ter dado errado.Por isso não tentei.. Por isso me afastei..
Eu sei o que iria acontecer, mas estou aqui é pra cantar o que eu queria escrever.. E dizer..
Mandar pra você ler! Porque eu não tive coragem, de falar o que eu sentia..
Por você.
Talvez nem toque no radio.. Mas eu queria falar, que poderíamos tentar..
Outra vez.

Como uma droga

Como uma droga você virou minha dependência. Fico descontrolada na sua ausência. Minha sanidade se foi, e você também. Só agora eu vejo que nada estava bem. Vem, vem matar essa fome, revive em mim cada músculo, me consome. Apague as mentiras que gostei de ouvir, remende as rachaduras que você fez em mim. Isso nunca foi realista.. Acaricie minha orelha levemente, me contagie aceleradamente.. Nunca foi minha intenção te amar, mas me aperte e não se vá. Fique estático pra eu te olhar.. E estar preparada quando você não aceitar ficar.

Antigo amor

Eu sei porque vi. Vi que sei, sei que vi. Sei que não dá pra continuar, vi que não dá para mudar;
o que eu sou, o que eu sei, o que restou,
de um antigo amor.

Escrevo pra quem não merece.

Layout por Maryana Sales - Tecnologia Blogger